Grandes jogadores que não ganharam a Bola de Ouro: Oliver Kahn

Para além das conquistas, individuais e colectivas, Oliver Kahn protagonizou uma carreira repleta de exibições de alto nível, que ficaram na memória colectiva de todos os adeptos de futebol.

Fernando Cardoso
by Fernando Cardoso

Quem não se lembra dele? Com 1,88 m de altura, uma grande compleição física, e grande agilidade, era enorme na baliza. Aterrorizava até os avançados mais possantes.

Nascido em Karlsruhe (Alemanha) a 15 de Junho de 1969, Oliver Rolf Kahn viria a tornar-se um guarda-redes incontornável na história do futebol mundial. É considerado, no DVD FIFA FEVER, como o melhor guarda-redes de todos os tempos.

Começou a jogar futebol aos 17 anos no clube da sua cidade natal, e aos 21 fez a sua estreia na Bundesliga, ainda com as cores do Karlsruhe SC.

As suas exibições ajudaram a transportar a modesta equipa alemã até às meias-finais da Taça UEFA de 1993-94, tendo, pelo caminho, eliminado o PSV Eindhoven e protagonizado uma reviravolta épica na segunda ronda contra o Valência em que venceu 7-0 depois de ter perdido em Espanha por 3-1.

Nos quartos-de-final ultrapassaram o Boavista e caíram nas meias finais às mãos do Áustria Salzburg com dois empates. O Áustria Salzburg seguiu para a final por ter apontado um golo fora (os resultados foram 0-0 e 1-1).

Aos 24 anos foi convocado, pela primeira vez, para a selecção alemã. No entanto, só viria a tomar conta da baliza da selecção germânica após o Mundial de 1998, altura em que o então titular, Andreas Kopke, anunciou a sua retirada.

 

Caminho para a glória: Oliver Kahn no Bayern de Munique

Entretanto tinha-se transferido para o Bayern de Munique e, em 2000, foi eleito o melhor jogador do campeonato Alemão e o melhor guarda-redes da Europa.

No Mundial de 2002, disputado na Coreia e no Japão, fez história ao tornar-se o primeiro guarda-redes a conquistar o troféu de melhor jogador da competição. A selecção alemã viria a ser derrotada na final pelo Brasil. Em Dezembro do mesmo ano foi eleito pela FIFA o segundo melhor futebolista do ano, atrás do brasileiro Ronaldo.

 

 

Após o fim da carreira, Kahn terá revelado o seu arrependimento por não ter aceitado transferir-se para o Manchester United. Sir Alex Ferguson pretendia-o em 2003 ou 2004. Na altura o guardião desejava marcar uma era no Bayern e por isso não aceitou o convite. No entanto, olhando para trás, considera que talvez tivesse sido um desafio interessante.

Ao serviço do Bayern de Munique conquistou 1 vez a taça UEFA, 8 vezes a Bundesliga, 6 vezes a Super Taça Alemã, 6 vezes a Taça da Alemanha, 1 vez a Liga dos Campeões Europeus e 1 vez a Taça Intercontinental.

Pela selecção conquistou o Europeu de 1996 e foi vice-campeão mundial em 2002.

Em termos individuais, conquistou 4 vezes o prémio de melhor guarda-redes da Europa, 3 vezes o de melhor do mundo, foi o jogador do ano na Bundesliga por 2 vezes e conquistou o prémio Yashin por uma vez.

Para além das conquistas, individuais e colectivas, Oliver Kahn protagonizou uma carreira repleta de exibições de alto nível, que ficaram na memória colectiva de todos os adeptos de futebol.

Terminou a carreira em 1 de Julho de 2008, tendo disputado 781 jogos, e mantendo invioladas as redes em 292. Sofreu 783 golos. Um percurso impressionante que nunca lhe valeu o prémio de melhor jogador do mundo, a conquista da Bola de Ouro da FIFA.

 

 

 

 

Share this article

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *