adidas e puma

Adidas e Puma: irmãos em margens opostas do rio

Quando começou a rivalidade entre Adidas e Puma? Tudo parte de uma zanga entre dois irmãos, na Alemanha. Neste post contamos-lhe essa história.

Alguns dizem que não há amor como o de dois irmão. No entanto, este não é o caso quando se fala dos irmãos alemães Adolf e Rudolf Dassler que encenaram, lado a lado, uma luta feroz e implacável que se chegou mesmo a arrastar por tribunais. Quem são os irmãos Dassler? Provavelmente o nome não lhe diz nada, dito desta forma. Ainda assim, se falarmos na Puma e na Adidas irá imediatamente reconhecer as marcas rivais na venda de equipamento desportivo.

A história desta rivalidade começou há muitos anos, na pequena cidade alemão de Herzogenaurach. Ao contrário de rivalidades emblemáticas do mercado, como é o caso da Coca-Cola contra a Pepsi ou a Apple contra a Microsoft, a rivalidade entre Adidas e Puma é muito mais amarga, com um carácter profundamente pessoal que, mesmo quase cem anos depois, continua viva.

Estamos então na década de 1920. Os irmãos Adolf (Adi) e Rudolph (Rudi) Dassler eram, por esta altura, parceiros na Dassler Brothers Sports Shoe Company. De acordo com a revista Fortune, Adi ocupava-se da componente criativa da empresa, desenhando os sapatos e supervisionado tal trabalho, enquanto Rudi assumia o papel de comercial, gerindo todas as relações com os clientes. Durante algum tempo a empresa prosperou, mesmo com a chegada ao poder de Adolf Hitler.

Adidas e Puma: o que separou os irmãos Dassler?

Mas o que separou os irmãos? Essa é uma pergunta à qual não existe ainda uma resposta totalmente absoluta. Uma versão da história dá conta de que as esposas dos irmãos não se conseguiam suportar uma à outra. Outro versão, mais escandalosa, revela que Rudi teve um caso com a cunhada, a esposa do irmão.

As versões desta briga entre irmãos são muitas. Há rumores de que o desentendimento foi também provocado quando Rudi foi chamado para o serviço militar durante a Segunda Guerra Mundial, acreditando que Adi e a sua esposa teriam planeado tal jogada para o tirar do caminho e ficar com a empresa.

A última gota foi, aparentemente, um incidente durante um ataque com uma bomba dos Aliados. Adi e a sua esposa terão procurado refúgio num abrigo anti-bomba, já ocupado por Rudi e a sua família. Aí, Adi supostamente disse que “os bastardos sujos estão de volta”, referindo-se aos aviões, mas Rudi achava que seu irmão estava falando sobre ele e a sua família. A partir de então a cisma tornou-se permanente e os desentendimentos mais frequentes.

Os irmãos continuaram lado a lado até 1948, continuando mesmo a partilhar a mesma casa com as suas famílias. Todavia, a situação era insustentável.Quando a guerra terminou, os irmãos decidem então seguir caminhos diferentes para montar os seus negócios em separado. Curiosamente, decidem levar a sério a “separação das águas” construindo em margens opostas do rio Aurach as suas novas empresas.

Enquanto Adi dava forma à Adidas (nome que resulta da alcunha pelo qual era tratado e pelas duas primeiras letras do seu apelido), Rudi cria a Puma na outra margem, chamando ao seu negócio Ruda (tentando usar a mesma estratégia do irmão). Todavia, o nome não pegou e foi mais tarde reformulado para Puma.

Inevitavelmente, o crescimento das duas empresas acabou por impactar diretamente o a própria vida de Herzogenaurach. A rivalidade entre os irmãos saltou para fora do mercado, dominando a economia local e definindo mesmo a opinião dos habitantes da vila. Quem trabalhava para a Puma não podia falar com um trabalhador da Adidas e vice-versa. A rivalidade tornou-se de tal forma ridícula que alguns negócios locais recusaram-se a servir certas pessoas afiliadas de alguma forma à marca que não apoiavam.

Em entrevista ao jornal The Guardian, Klaus-Peter Gabelein, membro da da Associação de Património da cidade disse que “até a  religião e a política tiveram a sua parte neste desentendimento. A Puma era vista como uma marca católica e politicamente conservadora, a passo que a Adidas era tomada como protestante e social-democrata “.

Ainda assim, o sucesso das duas empresas é inegável. A intensa rivalidade funcionou durante anos como um motor intenso que trabalhou criatividade e estratégias. Numa constante guerra um contra o outro, os irmãos Dassler procuraram suplantar-se consecutivamente, apresentando os melhores produtos desportivos do mundo.

Quando os irmãos Dassler morreram na década de 1970, foram enterrados no mesmo cemitério, mas nas extremidades opostas do terreno. Uma vez mais, os rumores e lendas sobre a família ressurgem de uma possível reconciliação dos irmãos antes de morrer. Há quem acredite que os irmãos se encontraram em segredo ao longo da suposta “rivalidade”, mantendo-se longe do público para não prejudicarem de forma alguma o negócio. Há ainda quem acredite que os irmãos não eram rivais, apenas bons atores e estrategas, com um espírito de marketing aguçado para o potencial que um desentendimento podia trazer para o sucesso dos negócios.

Verdade ou não, a relação da Adidas e Puma continua a ser a de concorrentes. Ainda assim, a disputa parece ter entrado em termos mais amigáveis em 2009, quando foi organizado um jogo amistoso de futebol para sarar feridas.

Share this article

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *